JÁ PLANEJOU O DIA DE AMANHÃ? – Café com Pernas

Quando falamos em planejamento empresarial logo pensamos em tempo.
Mas logo surgem duas dúvidas: 

Quanto tempo nós vamos planejar? E como planejar nesse período em que vivemos? 

Tenho um amigo, o Edilson Lopes, fundador da KLA – Educação Empresarial, uma rede de treinamento para empresários, que diz o seguinte:
“Se você quer que sua empresa cresça, você tem que saber responder 3 perguntas…
Como estará a sua empresa daqui a 5 anos?
Como estará a sua empresa daqui a 10 anos?
Como estará a sua empresa daqui a 15 anos?” 

É assim que se faz planejamento “normalmente”. Mas neste momento que estamos vivendo, temos que manter esse foco? Projetar 15 anos à frente? 

Claro que temos! 

Porém, antes disso não podemos nos esquecer da SEMANA QUE VEM, ou melhor, de AMANHÃ. Pois a cada dia, as coisas mudam completamente e de maneira bem intensa. 

Tenho um cliente que é proprietário de uma escola. 

Quando o GOVERNO DE SP falou que as escolas iriam parar na semana seguinte, ele me ligou no domingo à noite e pediu para prepararmos um comunicado informando que eles também iriam parar.  

Segunda de manhã preparamos o comunicado e disparamos. Na hora do almoço, esse mesmo cliente me ligou falando que já havia mudado tudo. Estavam parando e no dia seguinte já estariam com as aulas suspensas. 

Aí eu te pergunto:  

Como planejar ações desse jeito? 

Não sei se você que está lendo conhece ou gosta de Fórmula 1, mas nesse esporte, quando acontece um acidente, entra na pista o Safety Car, ou seja, o carro de segurança. A entrada desse elemento na pista faz com que a velocidade dos competidores reduza de 300 km/h para algo entre 120 km/h e 150 km/h. Isso dura o tempo necessário até tudo se reestabelecer e ter segurança para a corrida retomar.  

Você vê alguma semelhança com o momento que vivemos? 

Vale a pena destacar que quando o Safety Car entra na pista, a corrida não para. Ela apenas diminui a velocidade. Com a mudança de cenário, as equipes se veem obrigadas a rever toda sua estratégia para o restante da corrida. 

Na primeira volta as equipes precisam decidir rapidamente se os carros devem ir para os boxes ou não. Caso escolham ir para os boxes, vão decidir se trocam de pneus, se abastecem, se há necessidade de limpar as entradas de ar, entre outras coisas…
Além disso, enquanto o Safety Car não sai, todos os carros se emparelham, muito próximos, só pensando no momento em que o carro de segurança irá sair da pista para tudo recomeçar. 

Durante esse tempo, os pilotos mantêm contato constante com a equipe para saber tudo o que está acontecendo, procurando a melhor posição e a estratégia certa para ganhar posições na relargada. Aproveitam para conferir atentamente os dados do carro e do ambiente como temperatura do óleo, dos pneus, o vento, a chuva e tudo mais. Também é necessário que façam rápidos zigue-zagues para os pneus continuarem aquecidos, pois o carro perde muita aderência e velocidade se os pneus esfriarem. Enquanto isso, estão atentos a tudo que os concorrentes estão fazendo.
Mas, principalmente, eles não perdem o foco no objetivo principal da corrida.  

Quando o risco de acidente é resolvido e o Safety Car sai da pista, a corrida volta ao normal. Quem estiver preparado só precisa acelerar e seguir tudo o que planejou. Assim, com certeza, irá ultrapassar aqueles que relaxaram e não se prepararam. 

Por isso, se posso dar alguma dica neste momento sobre planejamento, ela é: 

Faça como as equipes de Fórmula 1 quando algum problema acontece! 

1 – Se organize e se prepare para tomadas rápidas de decisões; 

2 – A decisão de mudar pode ser difícil, mas ela precisa ser feita agora. Se pergunte como está sua equipe, carteira de clientes, o caixa da sua empresa, a comunicação da empresa com seus colaboradores, seus fornecedores e, o mais importante, com os seus clientes. 

3 – Agora todas as empresas estão se emparelhando, estão tomando decisões parecidas, mas o que você está pensando e fazendo para se preparar? 

4 – Se mantenha informado! Mas esse abastecimento deve ser de informação séria e confiável. 

5 – Fique atento aos dados da sua empresa e do seu segmento. Fique de olho nos números! Como sua empresa está reagindo, como o seu setor está reagindo e faça reuniões constantes com sua equipe. 

6 – Observe o que seus concorrentes estão fazendo. O que eles fizeram melhor do que você? O que você fez melhor do que eles? O que você pode fazer para superá-los? 

7- É fundamental não perder o foco no seu negócio, na sua empresa e principalmente, sempre esteja pronto para uma relargada. 

Neste momento, vale lembrar a célebre frase de Publius Flavius Vegetius Renatus, conhecido como Vegécio, um escritor que viveu no Império Romano do século IV: 

“Na paz se prepare para a guerra e na guerra se prepare para a paz.” 

E como estamos vivendo um momento de guerra, nós precisamos nos preparar para a paz. Porém, para essa paz, não podemos esquecer o elemento humano. Claro que a tecnologia está ajudando muito, mas o ser humano, o contato humano, a pessoa por trás da empresa, é o que mais falta. E tenho certeza que durante essa crise, e principalmente após ela, o ser humano é que fará toda a diferença. 

Tenho certeza que as empresas que se mostrarem mais humanas farão toda a diferença daqui para frente! 

Autores:

Affonso Passos 

Gerson Grassia 

 

Leave a comment