A publicidade é uma ferramenta. – Café com Pernas

Escrito por Jéssica Albuquerque

 

Sei que intuito da publicidade é difundir empresas e marcas, mas isso é óbvio, sou publicitária e quem não é também sabe disso. Mas desde que a desmembrei e estudei parte por parte para compreender de que forma a usaria enquanto me preparava para o mercado de trabalho, descobri que ela não passa de uma ferramenta.

E antes disso? O que era a publicidade em minha vida, a ponto de fazer com que eu desejasse passar horas e horas por dia trabalhando com isso?
Não posso deixar de citar o fato de que ouvi inúmeras vezes que o que faço é criar uma imagem fictícia do mundo e induzir as pessoas a comprar e comprar, até mesmo sem necessidade. E como lidar com o fato de que a profissão dos seus sonhos é algo tóxico? Simples. Ela não é!
Já ouviu falar na campanha #LikeaGirl, da marca Always? Ela usa o estereótipo “que nem menina”, que é um termo machista usado para inferiorizar o modo como as mulheres fazem as coisas, para mostrar a realidade de que fazer algo como uma menina é bom.

Esse é só um dos milhares de exemplos que eu poderia citar para falar de propagandas que buscam espalhar o bem e ajudar as pessoas.

Seria então a publicidade a ferramenta que irá salvar o mundo? Depende.
Uma ferramenta nas mãos da pessoa errada é ruim, porém nas mãos da pessoa certa, às vezes, cria o que chamamos de milagre. Se uma conversa mantém um relacionamento vivo, imagine o que a comunicação em massa, quando positiva, faz no mundo.